Mas afinal o que é a Black Friday?

Todos os anos, no início da época do Advento, começam a surgir Mercados de Natal por toda a Alemanha, para assinalar a chegada da Época Natalícia. Os Mercados de Natal começaram há vários séculos, quando se tomou a decisão de deixar os mercados normais ficarem abertos durante mais alguns dias para alegrar um pouco a época fria. Na altura, as mercadorias eram expostas diretamente na rua e não nas casinhas de madeira que existem hoje em dia.

Antes dos Mercados de Natal, já se realizam mercados de inverno na Europa durante a Idade Média tardia. Normalmente, estavam abertos durante alguns dias. Estes mercados eram uma oportunidade para as pessoas se juntarem, comprarem comida e artesanato e, acima de tudo, para se abastecerem para o longo e frio inverno que se aproximava. Apesar de estes não se chamarem especificamente “Mercados de Natal”, serviam principalmente para comprar figuras de madeira, brinquedos e, acima de tudo, doces e comidas típicas desta época.

História dos Mercados de Natal na Alemanha

O primeiro mercado deste género registado na História realizou-se em 1298, em Viena, na Áustria e chamava-se “Mercado de Dezembro”. É possível que a ideia se tenha espalhado mais para norte a partir daí. Há várias fontes que dão datas diferentes para o início desta tradição (1310 em Munique, 1384 em Bauzen e 1393 em Frankfurt), mas alguns deles podem não ter sido “Mercados de Natal”, mas sim mercados que ficavam abertos durante mais um dia em dezembro.

O Consumismo no Natal não é de agora!

As compras de Natal já eram uma atividade muito popular no século XVII, por isso não se pode dizer que o consumismo seja uma coisa dos nossos tempos. As pessoas já se queixam disso desde aquela época. Normalmente, os mercados realizavam-se perto das igrejas principais das cidades, uma vez que eram locais privilegiados para chamar a atenção de quem participava nos serviços religiosos. Mas os mercados eram muito mais atrativos do que as missas! De tal modo que, em 1616, em Nuremberga, o padre se queixou que ninguém apareceu na missa da tarde na véspera de Natal… os fiéis tinham todos preferido ir fazer compras ao mercado próximo!

Diferentes mercados, diferentes produtos

Dependendo da cidade e da região, cada mercado tem as suas especialidades, tanto na comida como nos artigos que vende. Antigamente, os mercadores e artesãos só podiam vender os produtos e alimentos da sua própria cidade, o que fazia com que os mercados vendessem apenas produtos regionais e se tornassem num reflexo da cultura dessas zonas. Por exemplo, o Mercado de Erzgebirge é conhecido pelas suas figuras em madeira e pirâmides de Natal, enquanto que o de Lubeck é conhecido pelo massapão e de Nuremberga pelo Lebkuchen, um doce típico conhecido desde a Idade Média.

Os Mercados de Natal nos dias de hoje

Atualmente, os Mercados de Natal ainda preservam muitas características do passado. As pessoas vêem-nos como pontos de encontro maravilhosos cheios de luzes e de especialidades regionais, feitas apenas nesta época. As decorações natalícias feitas à mão, doces natalícios, vinho quente e outras iguarias gastronómicas, não são muito diferentes das que se faziam há centenas de anos atrás. Ainda pode encontrar os quebra-nozes de madeira, pirâmides de Natal, figuras em madeira de anjos, animais e duendes, estrelas de palhinhas, frascos de bolachas, ornamentos de vidro, brinquedos de madeira, decorações para árvores de Natal feitas de lata ou vidro, canecas, produtos em vidro, pratos e queimadores de incenso, tal como há 200 anos atrás.

Ficou encantado com os Mercados de Natal da Alemanha? Gostaria de visitar algum, mas não pode? Não o podemos levar até lá diretamente, mas para o aproximar um pouco mais da Alemanha, durante o mês de dezembro, a wisdom TRANSLATIONS vai oferecer 20% de desconto em traduções de Alemão-Português.

Visite o nosso separador de orçamentos e peça já o seu ou clique aqui!